Biossensores: CTI vai desenvolver testes rápidos para doenças negligenciadas

Pesquisadora segurando biossenssorO CTI Renato Archer iniciou o desenvolvimento de dois testes rápidos e portáteis para o diagnóstico de seis doenças tropicais negligenciadas (DTNs). O primeiro teste irá possibilitar a detecção simultânea das arboviroses Dengue, Chikungunya e Zika vírus; e o segundo visa a detecção simultânea da hanseníase multibacilar, leishmaniose tegumentar e paracoccidioidomicose (PCM).

Para isso, um grupo de pesquisadoras do CTI estão desenvolvendo um novo conceito de testes eletroquímicos multiplex e portáteis, baseados em nanoestruturas de ZnO (óxido de zinco). Tais nanoestruturas, em conjunto com o material biológico, são responsáveis por auxiliar na detecção das proteínas estruturais dos causadores da doença e, por isso, vão possibilitar o desenvolvimento de testes que ofereçam o diagnóstico simultâneo das doenças de forma precisa, sem reação cruzada, a partir do surgimento dos primeiros sintomas das doenças.

Testes simultâneos: Os dois testes que estão sendo desenvolvidos pelo CTI são compostos por uma base sensora eletroquímica preparada em uma placa de circuito impresso, que contêm três eletrodos de trabalho multiplexados totalmente integrados com um único eletrodo de referência e um contraeletrodo. Cada eletrodo, por meio de sua base sensora eletroquímica, será responsável por detectar o biomarcador (no caso, proteínas) de uma das doenças, permitindo assim que um único ensaio teste três enfermidades simultaneamente.

A detecção da doença é feita por meio de um ponteciostato que, acoplado a um celular ou computador, mede a corrente eletroquímica resultante da interação entre os biomarcadores e os sensores dos eletrodos.   

O projeto está sendo desenvolvido pelo CTI Renato Archer, sob coordenação da pesquisadora Talita Mazon, em parceria com a empresa Vyttra e recebeu recursos da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). 

  • O que são doenças tropicais negligenciadas?

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), as Doenças Tropicais Negligenciadas (DTN) são enfermidades infecciosas, que afetam principalmente as populações mais pobres e com acesso limitado aos serviços de saúde, de abastecimento de água potável e esgotamento sanitário.

No Brasil, a leishmaniose, tuberculose, doença de Chagas, malária, esquistossomose, hepatites, filariose linfática, dengue e hanseníase estão entre as principais doenças negligenciadas. Elas ocorrem em quase todo o território do país. 

  • Paracocidioiomicose (PCM)

A paracoccidioidomicose (PCM), apesar de não ser considerada uma DTN, é a mais importante micose sistêmica existente na América Latina. A doença representa uma das dez principais causas de morte por doenças infecciosas e parasitárias, crônicas e recorrentes no país, segundo dados do Ministério da Saúde.

A PCM é causada por fungos termodimórficos que ficam dispersos no meio ambiente. A exposição a este fungo está relacionada com o manejo do solo contaminado em atividades agrícolas, terraplenagem, preparo de solo, práticas de jardinagem, transporte de produtos vegetais, entre outras.

A doença pode acometer pessoas de todas as faixas etárias, com evolução aguda-subaguda ou crônica, com manifestações clínicas desde benignas até graves com risco de morte.

Até o momento, não existe medida de controle disponível para a doença. Deve-se tratar os enfermos precoce e corretamente, visando impedir a evolução da doença e suas complicações.

Este website utiliza cookies para melhorar a sua experiência como usuário. Acesse nossa Política de Cookies para obter uma descrição detalhada dos tipos de cookies que podemos utilizar.